Gostou? Compartilhe!

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

ALP - Super bacana!

Boa noite, amigos de Doutrina!          

Ando bastante sumida do blog. E eu adoro o Arte de ir Mais Além! Infelizmente, as atividades do mundo tem me obrigado a convergir energias para outras coisas. Perdoem-me os erros por aqui e a falta da devida atenção! Espero poder resolver tudo isso e me dedicar com carinho em um futuro próximo.
Bezerrinha - fazendo companhia para os meus livros.

Hoje, estou passando apenas para deixar a dica de um blog pra lá de bacana...Com super ideias criativas e artes lindas para incrementar o estudo da doutrina!

Eu estou apaixonada pelo meu Paper Toy " Bezerrinha"! *-*
Não deixem de passar por lá, curtir e tornar o estudo da doutrina ainda mais interessante para os pequenos e...Grandinhos. Como eu! risos!

ALP - André, Luiz e Pimenta - clique e divirta-se!

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Receitas caseiras!

Um dos jovens divertindo-se com a massa de modelar.
Oi, gente!
Atualizando o blog! =) Desculpem a demora. Mas, estou com os finais de semana cheios ultimamente!

Continuando com as atividades repassadas no curso de Evangelização para Juventude.
Hoje vamos de Receitas caseiras para massas de modelar. (Pode não parecer, mas massa de modelar rende boas aulas. Você pode utilizar o recurso mesmo com a Mocidade através de aulas como a Formação dos Mundos.)

MASSA DE MODELAR

Ingredientes: 4 xícaras (chá) de farinha de trigo.
                    2 xícaras (chá) de água.
                    1 xícara (chá) de sal.
                    Qualquer suco ou anilina doce.

Modo de preparar: misturar tudo bem até a massa ficar homogênia. Colorir com anilina ou suco. Guardar em sacos plásticos ou potes fechados. Movimentar a massa todos os dias para evitar a formação de partes duras.
Duração: até uma semana.

MASSA DE PAPEL MÂCHÉ

                                                                                                 Ingredientes: 1 rolo de papel higiênico
                                                                                                                        1/2 kg de farinha de trigo.
                                                                                                                        Água
Criatividade.
                                Cola branca
                                4 colheres (sopa) de vinagre
                                1 colher (sopa) de Pinho-Sol

Modo de preparo: rasgar ou ralar o papel e deixá-lo de molho. Escorrer a água, juntar a farinha de trigo e a cola até dar uma boa liga (não esfarelar). Colocar o vinagre e o Pinho-sol.
Pode ser modelada livremente ou com formas untadas com óleo. Após secar, pintar e acrescentar materiais diversos.





RECEITA DE TINTA SIMPLES E PRÁTICA

Ingredientes: Papel crepom de várias cores.
                    1 colher de álcool
                    Água.

Misture tudo. Dê um tempo.
Após, colher a água colorida.

domingo, 7 de abril de 2013

Atividade: As Flores Dorminhocas

Saudações!
Hoje foi um dia bastante produtivo envolvida com o retorno de nossas atividades no campo da
Outro exemplo.
dramatização. Mas, embora cansada, aqui estou para deixar um dos trabalhos produzidos por nossos jovens no curso de capacitação. Peço que os amigos que me visitaram e solicitaram algumas atividades, tenham calma. Não os esqueci. E vou enviar as atividades solicitadas. =)

Flores Dorminhocas construídas.
É bastante simples, mas é possível realizar várias dinâmicas com as flores dorminhocas. Elas despertam quando colocadas na água e se abrem, cada uma em seu tempo, para revelar o que há em seu interior. Então, lance mão de sua imaginação e utilize as Flores Dorminhocas como desejar! Vale para "pequenos" e "altinhos", só depende mesmo do tema da sua aula.

Nós utilizamos as flores em diversas ocasiões. Como esta que ilustra o post. Fizemos uma confraternização Havaiana - com direito a comidinhas e folhas de bananeiras - e realizamos uma dinâmica onde cada flor continha uma palavra de incentivo. Para descobri-la? Bastava colocar a flor em uma bacia de água e ter a paciência para vê-la desabrochar.

Abaixo, o anexo. Basta copiar, imprimir e utilizá-la de molde. Use papéis para dobraduras ( que já são coloridos) ou o próprio sulfite ( você pode até pedir para que seus evangelizandos pintem).
Florzinha aberta com a mensagem.

ANEXOS:

Infelizmente, não me recordo da fonte deste material. Assim que descobrir, posto aqui.




domingo, 31 de março de 2013

Curso de Evangelização para Jovens

Curso de Capacitação Juventude 2013
Alô, amigos! Espero que todos tenham desfrutado de uma boa páscoa ao lado de seus familiares. Nós, é lógico, passamos na Casa Espírita ao lado dos nossos queridos jovens, futuros evangelizadores!

Aproveitando o post de hoje para divulgar o curso especialmente preparado para a juventude que deseja se lançar no grande desafio chamado "evangelização". 
E salientar nossa preocupação com este setor, muitas vezes negligenciado. Infelizmente não se é exigido nada para o tarefeiro. Se você deseja aplicar passe, precisa fazer o curso preparatório. Se quer fazer parte da mesa mediúnica, precisa estudar mediunidade, mas e quem quer evangelizar? Pois é. Quem quer evangelizar, segura na mão de Deus e vai! risos!

Brincadeiras à parte, é muito bom termos novos tarefeiros, mas é preciso que todo o futuro evangelizador também passe por um curso preparatório. Também estude. Afinal, evangelizar espíritos não é uma tarefa simples, mas de grande responsabilidade.
As casas Espíritas precisam capacitar seus trabalhadores para esta tarefa. Conhecê-los e prepará-los à luz da Doutrina Espírita.

 "Ah, é só dar uma aulinha", dizem, assim, no diminutivo. 

Recortando.
Não. Não é apenas dar uma "aulinha". É capacitar seres milenares. 
Certa vez, uma evangelizadora me questionou: "ora, para quê preciso aprender tudo isso? Para as crianças tanto faz! São apenas crianças." 
Nós, como Espíritas, temos o dever de fazer sempre o melhor que pudermos (parafraseando nosso querido Emmanuel) e as "inocentes" crianças que parecem não estar "nem aí" são espíritos velhos, que tal como nós, carregam um passado e são capazes, sim, de entender o que se passa (Que o diga Hermínio de Miranda no excelente livro "Nossos filhos são espíritos.") Portanto, capacitar-se é o mínimo que podemos fazer em prol dessa grande missão.

Amor e carinho são aspectos fundamentais. Mas é bacana a gente poder compreender como funciona o processo de aprendizado, como o cérebro das crianças reagem, o que pode estimulá-las mais e melhor. (Lúcya Moisés tem um livro maravilhoso sobre o tema: "Como aprendemos?". Recomendamos a leitura atenta.)

"Mas, então, eu preciso ser "PHD" no tema? Não sou pedagoga!"
Claro que não. Mas procurar estudar, ler, participar de cursos e ter interesse em expandir seus conhecimentos é sinal de progresso. Vai lhe dar mais segurança e possibilitará que conheça outros companheiros de lide. 

Cursos para os novos trabalhadores é imprescindível. E acompanhamento após o curso, também. Essas ferramentas darão ao futuro evangelizador amparo e a Casa Espírita estará garantindo a seriedade e comprometimento do Departamento que elucida crianças e jovens, mas também capacita seus trabalhadores. É  garantia de que o pretenso evangelizador perceba se realmente deseja se envolver naquele setor e não tenha uma experiência negativa. 

E não falamos apenas dos novos. Cursos de reciclagem para os trabalhadores mais antigos também são ferramentas valiosas para mantê-los atualizados e motivados na tarefa. (Sugerimos grupos de Estudos semanais, após ou depois das aulas, que reúnam os evangelizadores e permitam a troca de ideias.)
É uma pena que aos trabalhadores da Evangelização não sejam vistos com a mesma seriedade que o são aqueles que desejam trabalhar como aplicadores de passes ou médiuns.
Afinal de contas, é através da Evangelização que poderíamos minimizar ou diminuir os casos de obsessão. Tanto encarnados quanto desencarnados. Não há arma melhor do que o esclarecimento. Mas, para isso, é preciso contar com evangelizadores armados, além da boa vontade, do conhecimento.

Colocando a mão na massa! - Literalmente.
O Curso em questão, ministrado por Catarina ( Catarina é a minha mãe. As atividades que ofereço aqui no Blog para vocês é também fruto de sua contribuição e se tratam de atividades aplicadas ao longo de 20 anos trabalhando com jovens e crianças. E ela sabe que ainda há muito o que aprender. Portanto, eu e ela estamos sempre estudando.) , teve como alvo os jovens da Mocidade que desejam trabalhar com crianças. E este curso foi focado na juventude. O curso, um pedido dos próprios jovens, fez um apanhado geral sobre a missão do evangelizador e trouxe dados sobre a capacidade de atenção de cada idade, advertindo os jovens sobre a necessidade de observar as crianças até mesmo nos momentos lúdicos. 
Após a teoria, os jovens foram convidados a cortar e colar, desenvolvendo atividades práticas para aplicar com suas futuras turmas.

A experiência foi muito proveitosa. E já teremos o Módulo II, focado apenas nas Práticas Pedagógicas. (salientando que somente abrimos o Modulo II por insistência dos jovens.) Assim, amigos: hoje deixo para alertar as casas Espíritas sobre o poder da Evangelização e a necessidade de preparamos os nossos jovens para o trabalho! Este é o nosso grande objetivo. Que sejam eles, nossos jovens, os continuadores dessa grande tarefa de regeneração. 

E não é sem orgulho que deixo registrado por aqui: se tratam de jovens de nossa Mocidade. Alguns, frequentadores das escolas de evangelho e que hoje desejam passar a oportunidade adiante. Então, acredito que isso se deve a cada evangelizador ( e os pais estão inclusos nisso) por quem eles passaram. Uns plantaram a semente, outros a regaram e hoje, já temos uma plantinha que está prestes a desabrochar e espalhar um pouco de seu aroma para os outros.

Depois vou disponibilizar aqui no blog os slides utilizados e as técnicas por eles aprendidas.




domingo, 24 de março de 2013

A Unificação Doutrinária - Introdução ao Livro dos Espíritos

Olá, queridos amigos!


Grupos realizando os estudos.
Hoje trazendo um tema acerca do corpo doutrinário que compõe o Espiritismo. 
Esta aula é baseada no roteiro apresentado pelas apostila dos Estudo Sistematizado da Doutrina - Tomo I. (Portanto, analise a maturidade de sua turma. Não recomendo esta aula para pré adolescentes sem uma adaptação para a faixa etária.)
Nossa missão era abordar a Introdução dos Livro dos Espíritos e Prolegômenos com os jovens. Mas, as partes referidas são extensas e trazem um pouco de tudo. Coisa impossível de se tratar em uma única aula com cerca de meia hora de duração.


Cartaz Unidade Doutrinária para exposição.
Assim, recorremos a estrutura proposta pelo Tomo que desmembra em partes lógicas toda a introdução, passando pela vida e obra do próprio Codificador.  É importante considerar que alguns evangelizadores e facilitadores não curtem apostilas. Eu, particularmente e humildemente, me posiciono favorável a estrutura idealizada pela FEB nestes tomos. Curti bastante a forma como a Introdução foi feita, uma vez que somos convidados a conhecer o Codificador, suas influências e métodos para compreender melhor a forma como foi compilado o Espiritismo. De minha parte, não tenho objeções. Achei bastante didático. 

Assim, optamos por começar explorando as obras básicas.

Como se trata de um roteiro para Estudo Sistematizado optamos por "exigir" um pouco mais dos jovens: trabalhando com anexos, leituras e resumos para fixação do tema.
Tomo I. Subsídios para aula.

Objetivo: Compreender o corpo Doutrinário, capacitando o jovem não somente a conhecer as Obras Básicas, mas também correlacioná-las com o " Livro dos Espíritos".

Bibliografia:
Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita - Programa Fundamental Tomo I.

Dinâmicas:
* Qual é o meu livro?
Consiste em dividir os jovens em trios ou grupos partindo da definição de seus livros. Cada jovem receberá a definição de uma obra Básica e deverá descobrir de qual Obra Básica ela pertence. Assim, os jovens formarão grupos distintos: Livro dos Médiuns, Céu e o Inferno...

* Leitura dos anexos, resumo e apresentação de seu livro para o restante da turma.

* Construir em grupo a estrutura básica da doutrina através do esquema proposto por Deolindo Amorim ( em anexo) e  desenvolver um cartaz para exposição. 


Desenvolvimento - Roteiro

Começamos explicando do que se trata a Codificação e apresentamos a primeira Obra compilada por Allan Kardec - O Livro dos Espíritos. Então, começamos apresentando a Introdução e Prolegômenos, Por fim, comentamos que o  Livro dos Espíritos é dividido em 4 partes. E convidamos o jovem a pensar em quais seriam essas quatro partes.

A partir daqui apresentar aos jovens as obras codificadas por Kardec por ordem de publicação - Livro dos Médiuns, Evangelho Segundo o Espiritismo, O Céu e o Inferno e a Gênese.  

* Aqui desenvolvemos a dinâmica Qual é o meu Livro? Entregando a cada jovem uma definição distinta de uma obra da codificação e convidando-os a se mobilizarem para descobrir de que obra se trata e quem são seus companheiros naquele grupo. Trazer as obras e permitir que os jovens descubram as respostas por si mesmos ao manusearem os livros. ( Anexo 1)

* Após a formação dos grupos, distribuir a descrição mais detalhada de cada livro (Anexos 2) e convidá-los a fazer um resumo da obra para posterior apresentação para o restante da turma.

* Depois das apresentações, entregar aos grupos o esquema de Deolindo Amorim para que os jovens pensem por si mesmos e sejam capazes de correlacionar o que ouviram com as partes do Livro dos Espíritos. (Anexo 3)

* Finalizar a aula montando um cartaz com o Esquema proposto e convidando os jovens a colarem o seu resumo no local correspondente à sua obra básica.

Minhas considerações pessoais sobre a aula: acredito que os jovens aproveitaram bem, embora tenham deixado claro que não curtem escrever. De qualquer forma, é importante enfatizar de que se trata de um estudo e "escrever" é uma forma de fixação e apreensão do conteúdo. Como nós costumamos explorar diversas formas e técnicas de aulas, é bom receber o feedback dos jovens quanto aos métodos aplicados. Aviso ao amigo evangelizador, o fato de que nós acompanhamos o desenvolvimento dos grupos e percebemos quando um jovem toma a iniciativa, aquele que escreve mais, a forma como eles dividem as tarefas e ainda, aqueles que permanecem à margem das tarefas, deixando que outros façam por ele. Sim. Todos estes aspectos são importantes e jamais realizamos algo que não seja acompanhado de perto. São pistas importantes sobre a personalidade do jovem. 
Costumo deixar bem claro o que esperamos com as aulas e sempre sou franca sobre os métodos aplicados. O interessado nos estudos deve ser o jovem e ele deve colaborar conosco para que possamos desenvolver da melhor maneira possível um tema. Acho isso importante. Contar com os esforços de ambos os lados. Nós temos o dever moral de tentar levar aulas interessantes, mas o jovem, de sua parte, deve nos apontar as direções e ajudar contribuindo e participando das aulas. É um esforço conjunto. Então, procure ser franco com sua turma! Isso ajuda muito e constroi uma ponte importante de diálogo! =) 

ANEXOS
ANEXO I. ATENÇÃO: para esta aula você usará apenas as quatro descrições do meio: O EVANGELHO
SEGUNDO O ESPIRITISMO - O LIVRO DOS MÉDIUNS - O CÉU E O INFERNO - A GÊNESE.

ANEXO II - Resumos dos livros para distribuição nos grupos.

Evangelho Segundo o Espiritismo

A Gênese

O Céu e o Inferno

Livro dos Médiuns partes I e II.



ANEXO III. - Por fim, o esquema de Deolindo Amorim em seu livro "Cadernos Doutrinários" que expressa a Unidade Doutrinária onde o Livro dos Espíritos é o esqueleto estrutural e dele partem as demais obras.

Amarelo: Livro dos Médiuns, Vermelho: Céu e o Inferno
Azul: A Gênese, Roxo: Evangelho.

Conclusão: Todas as Obras se ajustam de forma harmônica. A força da Doutrina está justamente em sua unidade. Todas as obras da Codificação são interligadas, partindo do geral para o específico.


Espero que seja útil para você!
Dúvidas? Entre em contato!

segunda-feira, 18 de março de 2013

Eu sou como devo ser? - Dever e Virtude

Olá, visitantes queridos?
Como vão todos?

Hoje trago uma dica de aula para juventude ( 12 - 15 Anos) cujo tema é embasado na frase dita por nosso querido Chico Xavier:


Eu permito a todos serem como quiserem e a mim como devo ser." 
 O tema da aula foi retirada do Evangelho de acordo com o cronograma idealizado pelo coordenador.

Cap. XVII – Sede Perfeitos (Evangelho Segundo o Espiritismo) item 7 a 9
Objetivo principal: A busca do autoconhecimento como chave para compreender o próximo.
Objetivo secundário:  Todos usamos “personas”. É preciso enxergar através do Outro. E, assim, enxergamos a nós mesmos. O Desafio da Alteridade. 


BIBLIOGRAFIA

O Evangelho Segundo o Espiritismo
O Livro Dos Espíritos – questão 621  (Onde está escrita a Lei de Deus? – Na consciência.)
“O Ser Consciente” e “Triunfo Pessoal” de Joanna de Ângelis.
Aprender brincando. Dinâmicas, muitas dinâmicas.
O que é o “Dever”? ( Artigo de Maria Aparecida Ferreira Lovo – Jornal Verdade e Luz, nº 178 disponível em: http://www.espirito.org.br/portal/artigos/verdade-e-luz/o-dever-lei-moral.html E http://www.forumespirita.net/fe/o-ceu-e-o-inferno/o-dever-a-virtude/

A frase de Chico Xavier é mais complexa do que parece. E, para tanto, é preciso entender o que é " O Dever" de acordo com o conhecimento doutrinário. É uma questão filosófica de alteridade e dever pessoal. Confesso, até a necessidade de dar esta aula eu não havia entendido o profundo significado desta frase dita por um homem simples como nosso querido Chico. E, quando me debrucei no estudo, encantei-me de tal forma que escolhi a frase de Chico para abrir a aula. 

Assim, sugiro a confecção de um cartaz com essa frase para receber os jovens e através dela conduzir o estudo. 

DINÂMICAS UTILIZADAS:


O Mercador de Máscaras do Ego - O facilitador irá vender máscaras. Estas máscaras conterão algumas características e o facilitador, de forma teatralizada, irá oferecê-las aos evangelizandos.  Eles deverão escolher a máscara que mais se adéqüe a sua personalidade.

Conversando com o Homem no espelho – Montagem de uma “coxia” no canto da sala. Após a dinâmica das máscaras os evangelizandos serão exortados a se livrar delas. Como fazer isso? Nesta coxia teremos um espelho e a fraseγνῶθι σεαυτόν.  É o vocábulo grego para a frase “Conhece-te a ti mesmo”

Análise da Música “Man In The Mirror” de Michael Jackson.


ROTEIRO DA AULA:

* Pedir que os jovens leiam a frase de Chico e perguntar se algum deles tem ideia do quê significa. Conduzir um bate papo e enfatizar o tema da aula " Dever e Virtude."

* Após a chuva de ideias sobre a palavra "dever" propor aos jovens que desvendem o mistério pedindo que um deles abra o Evangelho Segundo o Espiritismo em " O DEVER" e solicitar que um jovem leia apenas a primeira frase:  : O dever é a obrigação moral primeiro para consigo mesmo e depois para com os outros.

O "Biombo".
Circular a palavra “devo”.   A noção de dever, trocando em miúdos, passa pelo conhecimento de si mesmo e norteia como devemos agir diante das mais variadas situações. E uma LEI MORAL pelo qual o homem deve se conduzir. É, em suma, " O amar ao próximo como a si mesmo. " ( Caro evangelizador, leia o material de apoio - em bibliografias- para desenvolver o seu próprio fio condutor da aula. Eu desmembrei a frase para que ela me levasse ao primeiro objetivo: o auto conhecimento.)


DINÂMICA " O MERCADOR DE MÁSCARAS"

Será que eu sou como devo ser? A questão do Ser é uma questão complexa e vamos convidar o jovem a pensar sobre isso através da dinâmica do "Mercador de Máscaras".

* Confeccionar máscaras para o número correspondente de jovens ( se você puder adquirir máscaras prontas, tanto melhor.) Nos anexos - logo abaixo - você encontrará um modelo de máscara para confeccionar.

Facilitador: ( ele mesmo pode usar uma máscara para encarnar "a personagem") A questão do Ser é um dos conceitos mais complexos de toda a humanidade. Eu quero convidá-los a pensar nisso. É o nosso primeiro desafio da noite. E para ajudá-los nesta tarefa milenar hoje tenho o prazer de apresentar-lhes a minha mercadoria. 

** Expôr aos jovens todas as máscaras confeccionadas de acordo com o número de participantes. Cada máscara deve trazer um sentimento ou uma personalidade descrita, como: "racional", " Tô nem aí", " Sentimental", "Namorador", "articulado", "tímido", " vigoroso", "agitado", "cizudo", "observador", "Tô sempre feliz", "Depressivo", "Do Contra", " Orgulhoso"...

Facilitador: Vocês estão diante das Máscaras do Eu. A grande vantagem da minha mercadoria é que elas lhe dão o poder  aparentar outra pessoa. Elas dão o poder a vocês de esconderem quem vocês realmente são.  E para isso, existem aqui várias máscaras do Eu com sentimentos diversos. Vocês devem escolher a máscara que vocês acreditem dar-lhes maior vantagem na vida. Que máscara é mais útil para mim no dia a dia?

** Deixar que os jovens escolham uma máscara e as coloquem. Após, você poderá colocar uma música de fundo para continuar a dinâmica.

FACILITADOR: ( Solicitar que os jovens caminhem pela sala com as máscaras. Uns olhando para as máscaras do Outro.) Quero que vocês pensem até que ponto eu tenho medo de dizer quem eu sou para o Outro. E até que ponto eu preciso dessas máscaras para viver. Será que eu percebo que estou usando uma máscara?
Quando estou caminhando pela sala encontro o Outro. Seja ele meu amigo ou meu inimigo. Todos estão usando máscaras. Será que eu percebo no Outro a mesma Máscara que eu mesmo estou usando? Vocês podem estar pensando o quanto isso é bobo. Ou se sentirem ridículos ao andarem pela sala de máscaras. Mas não é tão bobo assim. E nem é tão simples assim. Eu estou dando o poder a todos vocês de enxergarem  a Máscara do Outro.  Pensem: quantas vezes isso acontece no mundo real. No além da sala de evangelização.  Agora quero que vocês encontrem alguém e troquem de máscara com ela. Muito bem. Isso também acontece. Nós invejamos as máscaras alheias. Queremos possuí-las ou se não queremos possuí-las entramos em atrito com a máscara do Outro. Então, eu digo: “ Se você é indiferente comigo, serei indiferente em dobro.”, “ Não estou nem aí para a sua opinião.”, “ Eu estou sempre engolindo sapo, agora não perdoo mais.”, entre outras coisas. E então, temos uma briga homérica onde ninguém consegue ver que são brigas de máscaras...

Parem  onde estão. Quero que olhem para quem estiver mais próximo e pensem: Quem está por trás daquela máscara?Quais serão as dores, os tormentos que aquela pessoa está passando? O que é que eu estou vendo? Eu só vejo uma máscara. Será que eu tenho como ver além? Ah, você tem. Nós vamos para o próximo passo no caminho para Ser quem Eu Devo Ser e deixar os outros serem como quiserem. 

DINÂMICA " CONVERSANDO COM O HOMEM NO ESPELHO"

Nesta segunda parte da aula eu construí uma espécie de "coxia", utilizando um biombo doado por um hospital. Em seu interior, coloquei um espelho e uma frase em grego (nos anexos).

FACILITADOR - Enxergar a máscara do Outro é difícil. Mas pior mesmo é enxergar a nossa própria Máscara. Por isso, para essa nossa conversa, convidei alguém muito importante que está naquela coxia, esperando para conhecer cada um de vocês.
Esta pessoa dará o poder para que vocês comecem a se livrar da máscara que carregam. Estão preparados? Quero lembrar que não vai ser fácil, não. E não sei se quem está esperando vocês do outro lado vai ser agradável de se conhecer. Tem gente que detesta. Odeia mesmo. Vocês terão alguns minutos com essa pessoa e quando vocês se encontrarem com essa pessoa, vocês poderão retirar a máscara que carregam. Quando vocês estiverem com essa pessoa quero que olhem nos olhos dela durante estes minutos e perguntem qual seria a sua maior virtude e qual é o seu maior defeito.    Outra coisa: vocês não tem permissão para falar do encontro com ninguém. Vocês tem que permitir que cada um tenha a sua própria experiência.

A partir daí, o facilitador terá a chance de abordar a questão dos vícios e virtudes. E abordar a frase em grego cuja tradução é a fórmula do Dever: " Conhece-te a ti mesmo."

CONCLUSÃOVamos voltar a frase do Chico?  Ele é como deve ser – reconhecendo seus vícios, lutando para conquistar virtudes espirituais, aceitando as suas máscaras. – Mas permite ao seu próximo que ele seja como quer ser. Não lhe cabe julgar o outro, mas mudar a si mesmo.

Esse exercício de conversa consigo mesmo deve ser constante. Que nós não sejamos mais cegos. Que a gente possa mudar os nossos modos – lembram daqueles vícios? – e fazer aquela mudança. Vamos ser como devemos ser, ouvindo a voz de nossa consciência.

Para finalizar a aula, distribuir entre os jovens a música " Man In The Mirror" de Michael Jackson e propor ouvi-la. Se você tiver tempo pode conduzir a análise da música ou dedicar uma aula apenas para trabalhar a letra. Fique à vontade para adaptar a aula como desejar.



ANEXOS:




Letra da Música Man In The Mirror.



Vocábulo grego.



Máscaras:
Acesse o site "Recreio" e confira o molde super fácil desta máscara. Depois é só você escrever o Sentimento correspondente.



domingo, 10 de março de 2013

Ele está entre nós - material para discussão

Saudações!
Espero que o blog esteja sendo útil para vocês! Fiquem à vontade para entrar em contato. Comentei com uma amiga evangelizadora que é ótimo receber o feedback acerca dos arquivos disponibilizados - dúvidas, erros ( afinal, isso é sempre possível.) ou mesmo, questões de legibilidade. Além do mais, vou adorar receber um recadinho dos meus ilustres visitantes! Então...Ao me visitar, não esqueça de deixar um sinal de sua presença por aqui! ;)

Bem, hoje desejo disponibilizar um complemento interessante para a aula sobre " Falsos Profetas". O mais bacana é que esta reportagem foi encontrada por uma evangelizanda que, inclusive, a trouxe para a aula.

(** ATENÇÃO: RESPEITO TODAS AS RELIGIÕES E CRENÇAS. ESTE MATERIAL TEM COMO FIM A DISCUSSÃO DO TEMA. NÃO ESTOU FAZENDO QUALQUER JUÍZO DE VALOR SOBRE O FATO DAS PESSOAS RETRATADAS SEREM OU NÃO FALSOS OU VERDADEIROS PROFETAS.)

Acho muito bom quando o próprio jovem consegue trazer à tona fatos da realidade para as aulas. Isso demonstra  interesse e capacidade crítica para ligar as aulas ao que ele vê, ouve e sente. E, dessa forma, ele também contribui para o aprendizado em conjunto.

A Matéria em questão é " Ele está entre nós: os homens que dizem ser a reencarnação de Cristo." da revista Super Interessante, edição 239 de Dezembro de 2011.

Recomendo a leitura da matéria. Sem dúvida ela poderá enriquecer as discussões entre os jovens.










domingo, 3 de março de 2013

Nas pegadas do Verdadeiro Profeta!



Olá, amigos e amigas! Como vão?

Hoje compartilhando com vocês uma atividade bem diferente.
Sim. Não foi fácil desenvolvê-la. Eu, literalmente, quebrei a cabeça para idealizar. Mas, no final...A coisa andou.

Trata-se de um jogo aos moldes de " Scotland Yard" (jogo de tabuleiro que simula  os processos verdadeiros de uma investigação criminal  e apresenta 120 casos para serem desvendados) - ou seja, cada grupo receberá o mesmo caso e deverá resolvê-lo.

O tema da aula?
Falsos Profetas ( Trata-se de uma aula "combo". Comecei com o Mural dos Vultos, estudamos os Verdadeiros Profetas com o jogo Perfil dos Vultos e finalizei o tema com esta aula: enfocando os falsos profetas. Você não precisa dar todas as aulas jogos e nem é recomendado ( em nossa Mocidade eu não tenho como idealizar um cronograma de atividades porque as aulas são divididas entre um grupo de evangelizadores.Há seus pontos positivos, mas infelizmente não consigo acompanhar a evolução da turma, já que são evangelizadores diferentes a cada sábado. Assim, obviamente houveram amigos evangelizadores que fizeram o desenvolvimento do tema de outras formas.) Você pode dedicar um tempo a recolher matérias e desenvolver uma aula expositiva -em outro post vou disponibilizar um conteúdo bacana sobre médiuns para discussão ou mesmo montar um mural sobre. Enfim, o poder é seu!

AULA: O CASO DO VERDADEIRO PROFETA


Aula baseada no Evangelho  Capítulo XXI – Falsos Cristos e Falsos Profetas Itens 3, 8 e 9.

Objetivo principal: Distinção das características do verdadeiro profeta em comparação ao falso profeta.
Objetivo secundário: continuar o estudo dos vultos do Espiritismo e consolidar a noção de profeta (“ ...Todo enviado de Deus com a missão de instruir os homens e de lhes revelar coisas ocultas, os mistérios da vida espiritual.”)

BIBLIOGRAFIA

O Evangelho Segundo o Espiritismo.
Aconteceu na Casa Espírita – Emmanuel Cristiano (Espírito Nora)
Transtornos psiquiátrios e Obsessivos – Divaldo (Manuel Philomeno de Miranda)
Evocação dos Espíritos - Mistério dos Espíritos ( não é um livro doutrinário. Trata-se de uma publicação espiritualista que contem ilustrações e casos de médiuns variados.)


**É importante salientar que o caso " O Verdadeiro Profeta" se baseia nas histórias de Manoel Philomeno de Miranda (Capítulo “Presseguem as experiências Libertadoras” sobre um dirigente de Casa Espírita que promove as reuniões de tratamento espiritual mediante à sociedade com a Instituição.) e do Espírito de Nora ( Em “ Estimulando a Vaidade” Nora conta o caso de Maria Sousa, uma médium que se deixa levar pela ação dos obessores e leva com ela milhares de outros seguidores. Este livro traz um panorama geral das dificuldades enfrentadas pelos Espíritas e alerta para o “orai e vigiai”. As características de Marta BoaFé foram construídas através destes livros. Recomendo a leitura dos livros para entender melhor o caso proposto. )

ESTRUTURA DA AULA

1.Dividir os jovens em grupos de quatro.

2.Solicitar que leiam o item 8 - Falsos Cristos, Falsos Profetas - do Evangelho segundo o Espiritismo para que possam se inteirar do caso. ( Deixe que os grupos folheiem e procurem o item. Não dê demarcado ou em fotocópia. O ideal é entregar o exemplar. Permita que os jovens conheçam o livro e o explorem à sua maneira.)

3. Entregar à cada um dos grupos a cartela com o Caso do Verdadeiro Profeta e mensagem criptografada ( em anexo). Realizamos uma brincadeira com os nomes dos inspetores. Por isso, deixei um espaço para que você complete com os nomes dos coordenadores ou conhecidos do grupo. ( Por exemplo: o Inspetor Lestrade foi Celso Lestrade - o coordenador da Mocidade. Holmes, foi Jefferson Holmes, um evangelizador muito querido pelos jovens e etc...)

4. Realize a leitura em voz alta do caso.

NOS ANEXOS ABAIXO VOCÊ ENCONTRARÁ AS INSTRUÇÕES SOBRE COMO JOGAR.

* ATENÇÃO: CONHEÇA BEM O PERFIL DE SUA TURMA PARA APLICAR ESTA DINÂMICA. NÃO É UM JOGO MUITO FÁCIL. ( Nossos jovens adoram jogos e puzzles. E, como todas as aulas são experiências, confesso que sempre nos arriscamos. Em nosso caso, a aula foi bastante proveitosa e os jovens conseguiram desvendar o caso muito bem. Inclusive TODOS os grupos conseguiram decifrar a mensagem criptografada. Creio que houveram alguns erros de minha parte: então, eu os alerto para explicar bem como funciona o processo de desvendar as pistas. Aproveite para entabular uma conversa sobre as atitudes de um bom médium.) 
** INFORMO QUE DESENVOLVEMOS A ATIVIDADE EM 1H 30 MIN - O TEMPO NORMAL DE EVANGELIZAÇÃO. 

Instruções do Jogo - Leia atentamente.
O Caso do Verdadeiro Profeta - recorte e cole.

Pistas - Recorte-as.
Pistas II.
Mensagem Criptografada
Respostas do caso. Cada cor é relativa à uma pista.



segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Maria Montessori - Uma vida dedicada às crianças.

Maria Montessori
Olá!

Passando para comentar sobre o excelente filme Maria Montessori - Uma vida dedicada às Crianças.
Não conhecíamos Maria e o método Montessori de ensino, segundo o qual o potencial para aprender está em cada um de nós.
Filme italiano sobre a Educadora.
O filme - uma minissérie italiana dividida em duas partes - conta sobre a vida de Maria. A primeira mulher a frequentar a universidade de Roma, tornar-se médica e posteriormente pedagoga.

Confira a biografia de Maria no site " Educar para Crescer".

E, claro, o filme está disponível para assistir online no site Saudade e Adeus.
I parte: clique aqui.
II parte: clique aqui.

É muito bom.

**Encontramos também o livro "Maria Montessori" por Hermann Röhrs disponível no site Dominío Público. Se você quiser saber mais sobre a educadora é só clicar AQUI para conferir.

domingo, 24 de fevereiro de 2013

Contando e encantando!

Olá!
Música e contação de histórias!
Eu realmente adoro o poder das histórias. Elas são mágicas!
Para o post de hoje escolhi uma história bem curtinha para você desenvolver com crianças pequenas. Este foi o resultado de um trabalho que realizamos com os jovens junto às crianças de uma creche. E, como sabemos, o nível de concentração de uma criança de 3-6 anos não é longa. Portanto, transformei uma melodia curtinha em uma pequena história sobre Lar e Amor.

Para a tarefa utilizamos fantoches e contamos com a ajuda dos nossos jovens violeiros que animaram os pequenos com as batidas. O resultado foi uma mistura de história com recreação e música. Logo, não é uma história para relaxar.

A música é esta: "Eu tinha uma casinha".
Se você não a conhece, assista o vídeo do Arte Ofício de Teatro. Esta musiquinha é muito utilizada em encontros espíritas e, acredite: tira do chão até jovens. Tem uma coreografia fácil de ser executada e as crianças pegam rápido.


Nos anexos, você encontra " A história da Casinha". Em nosso caso, dividimos as falas, pois se tratava de um grupo de jovens que apresentaria a história para as crianças.
Durante a história, o facilitador deverá cantar a musiquinha e levar os pequenos a dançar também.
Acredite: por ser uma história curta e dançante as crianças conseguem entendê-la com facilidade. Inclusive, executando a dança quando a recontam por si mesmas.

Também foi um exercício interessante para os jovens. Além de estarem ajudando - fora do horário de Mocidade - também capacitavam-se para a arte do conto (acreditem: trabalhar com fantoches requer prática. Eles perceberam isso.) e para evangelizar.

ANEXOS:
Basta ampliar e salvar no seu computador.

sábado, 23 de fevereiro de 2013

Educando com amor! Livros

Saudações fraternas!

Final de semana é dia de postagem aqui no Mais Além.
Seja bem vindo ou bem vinda por aqui! Estou tentando organizar melhor o blog para que vocês, queridos visitantes, possam conferir todas as postagens com mais facilidade.

Hoje venho falar de uma figura para lá de importante dentro da concepção pedagógica Espírita: Johann Heinrich Pestalozzi.
Nós nos apaixonamos pela história deste educador suíço contada no livro de Dora Incontri: Pestalozzi - Educação e Ética. 
  É importante deixar claro que não se trata de uma obra biográfica comum, mas um estudo, senão uma dissertação sobre Pestalozzi e o meio em que ele vivia - sob os auspícios do Iluminismo e Revolução Francesa.

Talvez o primeiro capítulo possa fazer alguns leitores desistirem. Mas para compreender a história de Pestalozzi e suas inclinações é preciso entender suas relações com o período histórico. (Principalmente sua crença no Despotismo Esclarecido que delineia a primeira parte de suas reflexões.)

Então, vamos desbravando um período e compreendendo o Espírito nobre do Educador que dedicava-se ao ensino por Amor e acreditava que somente através dele a criatura poderia fazer brilhar a sua luz. 
Entre crianças embrutecidas pela violência, Pestalozzi praticava a sua concepção da Educação Moral, onde através do hábito, do diálogo e da experiência concreta poderia fazê-las superar os vícios e viver em comunidade.

A visão de Pestalozzi ia além da escola, abrangia a família e chegava até a nação. Aliás, Pestalozzi cria fervorosamente na figura da mãe e nas relações familiares para estabelecer contato com as crianças e sensibilizá-las para o que é belo e bom. 

" Comete-se frequentemente o grande engano de se dizer que um homem esteja completamente endurecido e irrecuperável - quando ele tem uma parte intocada, pela qual poderias conduzi-lo como uma criança." p. 73  (Esta é a cópia de minha própria resenha, onde você pode conferir na íntegra no Skoob.)

É difícil dizer o que senti durante a leitura. Talvez uma pontada aguda de inveja de Allan Kardec (que foi seu emérito aluno) e dos meninos e meninas de Stans ( local onde Pestalozzi iniciou suas experiências educadoras.) Ao desbravar a história deste homem é quase impossível não pensar em como é imensa a tarefa de evangelizar com amor e com qual responsabilidade devemos realizar este mister. 
Como educador, ele baseia suas crenças pedagógicas na vivência. Portanto, ele fala pouco, mas descobre como tocar o espírito do ser para a percepção moral. Para Pestalozzi o " homem bem formado só fala daquilo que sabe, e só sabe aquilo que experimentou, observou, viu ou vivenciou." Ao contrário de quem usa bem a linguagem, mas sem percepção do que realmente está falando. " O homem que se formou na percepção, fala do que está cheio o seu coração." E os exemplos arrastam. Vivências permanecem e transformam.
Há o trecho de uma carta para as mães (é um dos trechos favoritos de minha própria mãe. risos) em que Pestalozzi as convoca para serem intermediárias do ensino e assim exemplifica o seu método:
" Mãe, segue o fio que a natureza te indica; não entregues ao puro acaso, se e quando uma árvore se apresentar aos olhos de teu filho, o que ele por si próprio observará nela; mostra-lhe a árvore, mostra-lhe as partes que nela identificas; mostra-lhe o seu tronco; seus ramos, seus galhos, suas flores e frutos (...)"
E assim ele continua, correlacionando o aprendizado ao que a criança vê e sente. Não apenas em um conjunto de ideias abstratas.
Embora eu recomende a leitura, é importante frisar ainda mais uma vez: é um livro técnico.  Portanto, permitam-me sugerir a leitura dos livros de Walter Oliveira Alves.
 " Prática Pedagógica na Evangelização - Conteúdo e Metodologia (Vol I) ( se desejar, confira a resenha no skoob)  é um manual simples, objetivo e completo do que Pestalozzi propunha. Com o adendo de que traz sugestões de aulas e atividades dentro do método de sentir/ vivenciar aplicado na própria Doutrina Espírita. É um verdadeiro manancial de ideias para serem desenvolvidas. Tudo dentro do que propõe o codificador. (Ele próprio um educador. Kardec - como facilitador do conhecimento espírita - projetou uma forma de estudo criteriosa a partir de O Livro dos Espíritos que traz em seu bojo um apanhado completo da Doutrina.) 
Maquete Casa Espírita.
Realmente é um livro que não deve faltar nas prateleiras de qualquer evangelizador. Para a nossa surpresa, realizamos uma das atividades propostas pelo livro e com a qual ilustramos este post: trata-se da construção de uma maquete por ocasião do Aniversário da Casa Espírita. A maquete retratava a Casa Espírita.

O tema  " Minha Casa Espírita"  foi desenvolvido por cada turma, respeitando as limitações próprias de cada idade.  Os Pequeninos pintavam casinhas, o terceiro ciclo montou carros e a Juventude construiu a Casa Espírita com uma caixa de sapato. Ao final, juntamos todos os elementos para a Maquete que seria exposta no salão para pais e frequentadores. 

Logo, assim que puderem: leiam os livros. Especializem-se. Com certeza, fará toda a diferença.
Evangelizar é tarefa séria. E só podemos "falar daquilo que está cheio o coração".
Não no sentido do "saber técnico, especializado", mas do que sentimos. Evangelizar está além do técnico. Está em amar o que se faz para contagiar o outro.